E aí, como faz?

Às vezes você vai vivendo sua vida, em meio a coisas das quais você gosta muito e de outras que você gostaria de mudar mas não pode, pelo menos não por enquanto. E vai encontrando pessoas.

Com algumas você se liga e essa ligação é real, concreta porém fexível. Dessas eu gosto muito.

Com outras você não se liga jamais, não existe nenhuma conexão e ponto final. Nesses casos não que eu goste mas é mais fácil, porque aí você já sabe que não rola e não precisa se esforçar ou fazer tentativas. Não dá e fim de conversa.

E por fim vem o caso mais difícil. Quando com outras pessoas você tem uma ligação mas parece que sempre falta encaixar alguma coisa, parece que fica um espacinho, uma coisinha de nada mas que quando você menos espera pode virar um coisona e deixar um vácuo, um abismo. Ai você fica confuso, não sabe muito bem como lidar com isso.

Pensa só: se normalmente você acha, jura, que aquela pessoa é sua amiga, querida, que te entende, te aconselha e que gosta de te ajudar porém, do nada, essa pessoa tem uma loucura, um surto, vira uma mostra, te destrada e exige coisas de você que você não está disposto a dar. O que fazer?

Você poderia dizer: "ah manda ela pra puta que pariu!" e eu diria:"mas eu gosto dela, ela é minha amiga, só tá desesperada..."

Pois sim, eu tenho duas pessoas assim na minha vida e não me perguntem por nomes que eu não conto por nada.

Eu fico num mato sem cachorro, sem saber o que fazer e o pior é que sempre que estou quase desistindo delas, acontece alguma coisa e me faz desistir de desistir.
Será meu karma? Não sei.

Só sei que se relacionar com as pessoas é sempre um desafio, as vezes a gente ganha e outras perde.

"Vivendo e aprendendo a jogar/ Nem sempre ganhando, nem sempre perdendo mas aprendedo a jogar" - Francis Hime

Bejocas!

9 comentários:

Polyana Amorim disse...
26 de novembro de 2009 11:57

Isso é difícil mesmo, Dani... mas o jeito é chamar na real, explicar a situação, até mesmo dizer como tu te sentes...sinceridade é essencial pro sustento de qualquer relação.

bjins!

Alberto Júnior disse...
26 de novembro de 2009 18:06

E acrescentando ao que Polyana disse, que ela explique ao menos um motivo da grosseria justificando que se fosse o contrário era teria a mesma atitude. Pronto, tudo esclarecido.

Eu não confio em quem faz comigo o que eu não faria com ela.

Posso ser eternamente cordial, mas confiança é algo que exige muito da gente.

Pra mim é fácil sorrir pra todo mundo, agora olhar nos olhos e dizer "eu acredito e confio em ti" não é pra todo mundo.

Relaxa!

Márcia disse...
27 de novembro de 2009 04:05

Dani,
Relações humanas... assuntinho difícil né?
Cada pessoa é um mundo complexo e diferente e isto nos exige um cuidado muito grande...Algumas são mais simples, despachadas, outras mais delicadas, sensíveis...
Mas o que seria da nossa vida se não fossem as pessoas e sua singularidade?
Tediosa, eu diria a princípio...
Então te desejo muita sabedoria Dani pra lidar com as amizades mais "delicadas".
Grande bjo
Márcia

E aí beleza? disse...
27 de novembro de 2009 12:31

Olá, estava por aí na net e encontrei o seu blog achei ele muito interessante e criativo! Parabéns!

danielrodrialmeilei.blogspot.com

Dona Reis disse...
6 de dezembro de 2009 13:07

amiga,
há um tempo eu perdoaria e tudo voltatria ao normal; hj, ainda perdoo e tento entender os motivos que geraram tal ato, mas, dependendo do caso, as coisas ja naos seriam as mesmas...
cheirooooooo

Du disse...
23 de dezembro de 2009 16:02

"A Melhor mensagem de Natal é aquela que sai em silêncio
de nossos corações e aquece com ternura os corações daqueles que nos acompanham em nossa caminhada pela vida"

Desejo a você e sua família
um Feliz Natal e um Ano Novo cheio de Paz,Amor, Saúde e Amizade.

Beijo no coração!

Sonara disse...
20 de janeiro de 2010 11:28

As coisas nem sempre são como queremos isso é fato...já as pessoas, ahh pelo amor de Deus, temos q pelo menos no permitir a viver perto de pessoas legais...que gostem da gente e se preocupem pelo menos a metade do q nó nos preocupamos com elas,já tive uma amiga assim(quer dizer tenho)mas qm mudou foi ela e ñ eu,cansei de ser a boazinha e chamei ela pra conversar,deixar as coisas bem claras a respeito do nosso relacionamento, pois eu 'tava' adoecendo com a situação a mesma a vc ta passando e realmente não é nadaa fácil conviver com gente egoísta q só quer..como diz a minha mãe ...q só quer, venha nós o vosso reino nada*


AHHH!! deixa eu me apresentar...Sonara..prazer*shaushaushau

Gisley Scott disse...
7 de fevereiro de 2010 16:31

Relacionamentos é algo realmente difícil.As pessoas são diferentes e os seus mundos colidem com o nosso.

Acho que as amizades vem e vão dependendo da fase que estás vivendo. A vida muda, e com ela, a gente tb e as outras pessoas tb, porém o mais importante é manter-se fiel a si mesma e se perguntar o que realmente esperas de uma amizade, e se assim, a pessoa não quiser ou não estiver disposta, precisas permití-la que vá, assim como os outros precisam te permitir de ir.

Confesso que não tenho muitos amigos, mas os que tenho eu sei que são valiosíssimos, e esses, eu não trocaria por nada.

Espero ter ajudado em alguma coisa. Amei vc ter escrito sobre isso, me fez pensar :)!

Estava Perdida no Mar disse...
7 de março de 2010 07:46

Eu já passei por isso e acho complicado saber como agir. No meu caso, não deu outra...nos cansamos da situação e hj em dia temos um "coleguismo cordial". Só acho q se vc tem mesmo abertura com ela, deveria aproveitar isso e conversar...mas com calma...e de preferencia usando toda esta compreensão q vc demonstra ter no post. Pense em vc, mas tb tente se por no lugar dela. Beijocas

Volver al inicio Volver arriba A Louca da Casa. Theme ligneous by pure-essence.net. Bloggerized by Chica Blogger.