Lembranças de criança

Hoje, no bate papo de almoço com minha amiga de trabalho, estive relembrando algumas coisas da minha infância. E é sempre muito divertido lembrar essas coisas.

Lembrar por exemplo de quando eu fazia jardim de infância e uma guria roubou meus biscoitos wafer de chocolate. Ela pediu antes mas eu disse que num ia dar. Ora, eu não conhecia a menina porque ela era mais velha, estava em outra turma, ela nem falava comigo e o principal o meu biscoito era pequeno, dava para alimentar só eu mesma. Então é claro que eu num ia dar. Aí ela veio, roubou de mim e depois saiu correndo pela escola. E eu, o que eu fiz? Chorei claro. Acha que eu ia fazer o quê? Sair correndo atrás dela, espancar ela até ela vomitar o último biscoito? Não! Uma menina como eu fui criada pra ser não fazia essas coisas. Só chorava para que alguém fosse lá e resolvesse a situação.


E foi o que aconteceu. A diretora, Tia Nádia, que me adorava, falou com ela e sei que essa menina ficou em odiando até um dia desses. Eu sei porque ela morava numa rua próxima a minha e sempre que passava por mim fazia mó cara feia.


Nesse tempo eu era típica princesinha do papai. Sempre andava arrumadinha, cheirosa, comportada. Nunca brigava na escola. Jamais. Eu era aquela aluna que as professoras adoravam e que tinha muitas amiguinhas. Mas não era uma boboca total. Sabia me defender. Fui aprendendo na própria escola.


Na 3ª série mudei de escola. Eu que antes estudava numa escola do bairro, pequenininha, que todo mudno se conhecia fui para uma escola de rico, enorme, que ficava no centro e onde eu não era nada além de mais uma.


Logo percebi que aquela escola era diferente porque as outras crianças não levavam lanche de casa. Quase ninguém tinha mais lancheira. E quando eu cheguei com meu pãozinho com manteiga e meu suco de maracujá com aqueles pedacinhos pretinhos do caroço ( que eu adorava e ainda adoro) os outros me olhavam com uma cara de quem diz: credo, essa aí é pobre...


Depois desse dia não queria por nada levar lanche. Meus pais não tinham grana todo dia pra eu comprar lanche na escola, então eu preferia ficar com fome a ser ridicularizada pelos filhinhos de papai que se empanturravam de porcaria na lanchonete.


Graças a Deus isso passou também. Aprendi a não me importar com esses idiotas e descobri que tinha muita gente como eu lá. Que tinham uma família simples, um pai que fazia das tripas coração para pagar a mensalidade todo mês, para que a gente pudesse ter um ensino de qualidade e ter um futuro melhor do que o que eles tiveram. E tinha também aqueles que tinham tudo, grana, dinheiro pra comprar lanche mas que eram as mais simples que levavam lanche de casa e ainda dividiam comigo. Deixei também de ser a bobocona que esperava que resolvessem tudo pra ela. Cresci, fiquei mais independente.


Estudei nessa escola de rico até o fim. Fiz amigos lá que estão comigo até hoje. Aprendi muito lá. Demais mesmo. Aprendi principalmente a valorizar o que minha família fez por mim nesses anos de escola e nos outros que se seguiram a esses.


Sou grata eternamente.


Mas tem muitas outras história. Como a dos garotos e o que eles faziam pra chamar minha atenção(ui,ui,ui). Essa conto outro dia.


Bejocas e um ótimo fim de semana!

8 comentários:

Priscila Lima disse...
22 de maio de 2009 13:16

ah os tempos de infancia...
abraço carinhoso.

Alberto Júnior disse...
22 de maio de 2009 21:36

Espero Danick e Patrielle tenham direito a um lanche saudável quando forem para a escola. kkkkkkkkkk

Se eu contar que trocava meu pãozinho com manteiga com uma amiguinha que levava sapoti e fruta do conde para o lanche, tu acredita?

E quando eu tinha o privilégio - um dia na semana - para comprar na lanchonete, adorava bolo de chocolate com recheio de côco. Delícia!

Um dia posto no meu a história do dia em que fiz cocô nas calças. E quando prendi minha cabeça nas colunas do pátio?! Eu que sempre fui tímido, morria de vergonha dessas coisas.

UMA SEMANAAAAAAAAAA!
tive que voltar pra blogosfera só para tua contagem regressiva, uhuhuh!

outra novidade: www.espiandoalbertinho.blogspot.com

bjo

Su disse...
23 de maio de 2009 04:43

Ô choroninha do meu coração!!! hehehehe... Brincadeirinhaa!!! rsrs...
Ain, Dani, mas essas lembranças são tão boas, hein?!! Aqui em Porto eu não tenho amigos de infância, pois eles ficaram em outras cidades, mas quando eu vou para uma dessas cidades que eu cresci é muita história divertida para contar. Dia desses eu fui na escola que eu fiz colegial e nossa... tá muito diferente!! Bateu mó saudade de quando ficávamos sentadas na escada olhando os meninos do terceiro ano... hahahaha... ou então quando ficávamos atentando a moça da cantina. Eu era o terror, mas tinha cara de santa puta ladrona de velas... hahahahah... ningém sabia que eu era o terror.. hahahaha... ô sauuuudade!!!!
Beijoos, flor

Thiago da Hora Souza disse...
24 de maio de 2009 21:59

...no próprio post tem um link para o vídeo no YouTube.

Vinicius Giglioli disse...
25 de maio de 2009 11:30

O conhecimento que você tem é um pilar da tua maturidade.

Francine disse...
28 de maio de 2009 09:01

lembrar a infância é uma das melhores coisas do mundo!!!

te linkei no meu blog ;)

bjos

Amigao disse...
28 de maio de 2009 15:03

Também estudei em colegio de rico, era bolsista.
Tive problemas com este negocio de levar merenda e nunca ter dinheiro pra comer na cantina. Mas nada que o tempo resolvesse , né não?

Saudades do seu cantinho.

Beijão do amigão!

Nina disse...
15 de junho de 2009 03:55

Roubaram teu biscoito?! Ohh meninada chata essa...
bom lembrar né?? eu adoro :)

Volver al inicio Volver arriba A Louca da Casa. Theme ligneous by pure-essence.net. Bloggerized by Chica Blogger.