Comer, Rezar, Amar

Comentei com vocês que além de pensar muito estou lendo vorazmente. Terminei de ler A louca da casa ( finalmente) e nem sei como falar dele, porque eu gostei tanto, tanto e achei tudo tão bom que só vocês lendo pra saber como é.

O meu já está sendo aguardado por duas amigas leitoras e escritoras: a Luana e Anne.
Terminei esse no domingo e no mesmo domingo comecei a ler Comer, Rezar, Amar. Três coisas que adoro fazer de paixão. Quer dizer, não tenho sido muito boa em reza, é verdade.

Sempre rezo bem depressinha, faço uma prece meio despreocupada, digo um "Nossa Senhora da Conceição rogai por nós e nos proteja no nosso caminho", mas rezar mesmo, fazer uma oração de coração, nunca mais fiz.
Quando rezo assim, eu converso com Deus, como se fosse um amigo, com muito respeito claro, e peço o que meu coração pede. Peço e agradeço. E isso é tão verdadeiro que sempre me emociono e choro horrores. Depois me sinto bem e leve. É reconfortante. Mas ando em falta com a minha fé e devoção.

Quanto a comer e amar, tenho feito isso bastante. E os dois acabam se tornando uma espécie de oração. Quando como e quando amo faço isso com o melhor de mim, de coração.
Nesse livro a escritora, a jornalista americana Elizabeth Gilbert, conta a experiência dela com essas três ações. Depois de casamento terminado, imediatamente seguido por um romance fulminante em que ela amou "desesperadamente", ela decide largar tudo e fazer três viagens: Primeiro ela vai pra Itália, com o único objetivo de estudar a língua italiada que a fez sentir os primeiros raios de alegria que iluminaram a vida dela dentro de toda a escuridão de uma depressão. Na Itália ela descobre o prazer e a beleza e desfruta do bel fa niete e das delícias da culinária Italiana ( já quero ir pra Itália!!!). Adoro quando ela diz que na Itália ela engordou os 10 kg mais felizes da vida dela.

Depois ela vai pra Índia, morar no ashram da sua Guru espiritual. Ela vai pra lá para exercitar a devoção dela, para aprender a falar com Deus. E essa parte do livro é linda. Um ashram é tipo um templo de religiosidade onde se pratica a meditação, o silêncio, a oração. Lá ela aprende a se perdoar e a deixar passar muitas coisas que a entristeciam. É muito bonito mesmo.

Estou nessa parte do livro.

Depois vou para a parte que ela vai para a Indonésia. Sobre essa aqui não vô contar nadinha porque ainda não li né? Mas sei que essa vai ser a parte do amar e como adoroooo romances de meninas tô super ansiosa pra ler.
Em uma das críticas sobre o livro alguém fala que esse é um livro que toda mulher devia ler, porque afinal de contas é uma de nós que nos dá um depoimento de como superou tantas coisas pelas quais muitas de nós passamos. Mas acho válido os homens lerem também. Pelo menos sei que eles vão rir horrores e dizer: ah, então é assim que funciona? kekekeke...

Ai gentem tô amando o livro, devorando cada palavrinha e rezando para não acabar tão rápido.

Procurem pra ler, vale a pena mesmo, mesmo. E quando esse acabar já tenho outro na fila. O livro Férias da Maryan Keys. Mas esse eu comento outro dia.

Bejocassssss!!!

13 comentários:

annika freire disse...
30 de julho de 2009 13:09

lindo, emocionante e surpreendente no final (nem sabe logo quem ela foi amar! ahahaha). depois que terminei de ler pensei em pegar uma mochila e sair pelo mundo! mas venho comendo, rezando e amando a minha maneira, e o livro abriu muitas portas da minha percepção!

Amigao disse...
30 de julho de 2009 14:02

O título do livro me lembra três coisas que faço intensamente.
Só trocaria uma parte dele, substituiria "comer", por "beber".

Mas que interessante, ela relaciona as três coisa com viagens e lugares?
Me empresta?

Amynon disse...
30 de julho de 2009 15:49

Legal , parece ser interessante, eu por agora vou ler crepúsculo que ta todo mundo falando que é bom , vamos ver se é bom mesmo.
Um abraço ! :)

Luana! disse...
30 de julho de 2009 16:30

Hahahaha

Essa pecadora! Ela sabe cometer direitinho dois dos sete pecados: luxúria e a gula. Haahahaa

Amegaaam! Pois é! Naquele dia em q tu falou do livro pra mim, de fato lembrei q tu tava me devendo uma leitura, mas nao lembrei c exatidão qual era e nem toquei no assunto, pq eu poderia estar surtando.

Mas olha! Eu quero, eu quero, eu querooo! LOGO! AGORA! NOW!

Ai, juro q esse teu post me empolgou a procurar livros pra eu ler.

=(

Albertinho disse...
31 de julho de 2009 06:44

"Quanto a comer e amar, tenho feito isso bastante. E os dois acabam se tornando uma espécie de oração."

De joelhos, Dani?!
#devasso

Ah, eu acho que não ia gostar do livro, não. Não gosto muito de livro de "menina" assim como experiência a ser seguida. Se fosse uma biografia, isso sim. Mas pra mim, livro assim tem o mesmo peso de livro de auto-ajuda disfarçado, não sei, talvez preconceito.

Me ensina a rezar dess jeito depois, tá!
Beijos

Dani M. disse...
31 de julho de 2009 07:15

Ai anne, num contaaaaa...Já comecei a imaginar ela com todos os homens que ela conhece no livro, aff... só faltava ser pelo monge de Bali,kkkkkk...
Bjo amigaa!!

Ô Amigão, se o livro fose meu em bem emprestaria pra ti. Mandava por sedex. Mas num dá, é da Anne. Mas tenta ver quem por ai tem, alguém nessa tua vizinhança deve ter. Com certeza. Eu quero comprar pra mim ams numv ai ser agora não. Beijo querido!!

Oi Amyon, minhas primas adolescentes leram o Crepúsculo. Me falaram que adoraram o que eu achei o máximo já que tento convencÊ-las a ler e foi esse livro qeu as convenceu. Mas elas nunca me emprestam. Quem sabe leio uma hora dessas né? Beijão

Luuuu, amorrrr, hoje eu não trouxe mas eu vo lembrar e trago pra ti viu? Bjinhoooo

Albertinho, o livro é bom sim amigo e num tem esse tom de auto ajuda, que me cansa também. Mas não deixa de ser um livro de menina, hehehe... quanto a te ensinar a rezar desse jeito a gente pode preparar um ementa depois, kkkkk... beijossss

Márcia disse...
31 de julho de 2009 12:09

Dani,
Comer Rezar Amar foi o melhor livro que li em 2008. Menina deu uma vontade de te dar uma palhinha sobre o que está por vir... mas vou deixar você descobrir por si própria onde é que Liz vai ancorar o coração.
Aproveite, o livro é simplesmente delicioso!
Bjão!
Márcia

Du disse...
31 de julho de 2009 13:02

Na semana passada uma amiga minha apareceu na minha frente com esse livro, o título já me chamou a atenção e ela disse que está amando ler! Ela disse que vai me emprestar assim que terminar, só quero ver! ¬¬

AMEI o teu comentário lá no blog, queria ter vindo antes te agradecer mas não teve jeito!
Adoro tu, guriazinha!

Beijão

Dani M. disse...
31 de julho de 2009 13:44

marcita, não conta não por favor, kekekeke... eu tô termnando a parte da índia. Mas esses dias fiquei sem tempo de ler. Adoro quando tu dá as caras por aqui. beijosssss

Duzinha amoreca, saudade de tu. Tô tão preguiçosa pra comentar nos blogs. Mas no dia do niver da Moça do Sonho não resisti.
Tb adoro tu chuchuzinha.
beijosss

Dona Karen disse...
3 de agosto de 2009 12:05

To curiosa sobre o livro.
To só anotando na minha lista pra na feira do livro fazer minhas aquisições

Bjos queridona e obrigada pelo carinho lá no blog

Nina disse...
4 de agosto de 2009 01:31

Dani, esse livro as meninas me indicaram tbm pra ler, qd eu pedi dicas la no blog, ja entrou pra minha lista, pelo que tu fala aqui, é bom mesmo né?

valeu!

Anne Glauce Freire disse...
4 de agosto de 2009 19:38

Eu tenho uma versão eletrônica!!! Se valer! Dani, vou te enviar e vc envia para os colegas. bj

Nina Fiuza disse...
13 de agosto de 2009 07:48

Olá!
Obrigada pela visita e pelo link.

C.R.A é óóóótimo mesmo. Férias também é muito bom, apesar de não ser o meu favorito da Marian Keyes.

Bom, deixa eu ir fazer feijão!
Beijocas!

Volver al inicio Volver arriba A Louca da Casa. Theme ligneous by pure-essence.net. Bloggerized by Chica Blogger.